Category Archives: Gestão em Pauta

UNEB DIVERSA: Consu aprova programa de formação para diversidade e centro de memória da educação na Bahia   

Sessão foi realizada por videoconferência com transmissão ao vivo pela TV UNEB.

Em sua segunda reunião plenária neste ano, realizada na manhã de hoje (8), o Conselho Universitário (Consu) da UNEB tomou decisões históricas para a instituição.

A primeira foi a aprovação por unanimidade da criação do Programa de Formação para a Diversidade (ProUNEBDiversa), “que visa à superação de iniquidades produzidas por preconceitos, discriminações e intolerâncias institucionais baseadas em estereótipos étnicos, raciais, culturais, de gênero, geracional, de religião e crenças, de inserção territorial-geográfica, de orientação afetivo-sexual, de capacidade e de classe, por meio do processo formativo continuo”, conforme resolução do projeto.

O novo programa de formação, que vem fortalecer as ações afirmativas da universidade, destina-se a estudantes, professores, técnicos administrativos e colaboradoras da UNEB e será implementado em todos os campi e setores da instituição.

Presidente do Consu, reitora Adriana Marmori destacou decisões históricas e agradeceu aos conselheiros.

“Tem uma importância histórica essa decisão do Conselho, porque o ProUNEBDiversa vai trazer o processo formativo e a reflexão sobre a diversidade em toda a UNEB”, destacou a reitora Adriana Marmori, presidente do Consu.

A reunião, que teve a participação de cerca de 43 conselheiros, ocorreu por videoconferência, sendo transmitida ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube.

Outra deliberação unânime dos conselheiros de valor histórico foi pela criação do Centro de Referência e Memória da Educação na Bahia (CRMemo), proposta por grupo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da UNEB, sediado no Campus I, em Salvador.

Entre as finalidades do CRMemo, está a disponibilização de bancos de dados multimídia, arquivos e acervos relacionados à história da educação na Bahia e de resultados de pesquisa, buscando colaborar com a formação de pesquisadores da área em todos os campi da universidade.

“Esse Centro vai agregar todas as pesquisas que desenvolvemos sobre a história da educação em todos os campi e lugares onde a UNEB atua e é protagonista nessa história”, salientou Adriana Marmori.

5 cursos inclusivos aprovados na Capes

Na parte inicial da pauta da reunião, os conselheiros aprovaram, também por unanimidade, as resoluções ad referendum, com destaque para a implantação de cinco cursos de formação de professores da educação básica: licenciaturas em Educação Escolar Indígena, em Educação Escolar Quilombola, em Pedagogia Quilombola, em Educação Inclusiva e em Educação do Campo, para funcionamento na capital e municípios do interior do estado.

São cursos em parceria com a Capes/MEC e o Parfor Equidade (Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica).

Fomos uma das poucas universidades no país a ter esse volume de projetos de cursos aprovados pela Capes. Parabéns às equipes da UNEB que se dedicaram à elaboração desses cursos, os quais vão ampliar ainda mais nossa ação de universidade popular e inclusiva”, disse a reitora Adriana Marmori.    

Após profícuo trabalho, conselheiros confraternizaram pelo êxito das deliberações relevantes para a universidade.

O Conselho pleno também decidiu favoravelmente pela alteração da resolução referente ao Programa para Atuação de Docentes e Técnicos Administrativos Aposentados em Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação Stricto Sensu (PDTA-UNEB), a fim de adequá-lo em definitivo às normas legais vigentes.

Inovadora iniciativa da gestão da UNEB, aprovada ano passado, o PDTA assegura a professores e técnicos administrativos aposentados bolsa-auxílio para atuação em programas de pós-graduação stricto sensu da universidade, pelo período de até quatro anos.

“Estamos trazendo de volta à universidade nossos aposentados e aposentadas que queiram colaborar com a pós-graduação, tanto docentes quanto técnicos administrativos; uma decisão histórica deste Conselho”, reforçou Adriana Marmori.

O Conselho foi favorável ainda à criação de dois cursos de pós-graduação lato sensu – especialização em Gestão Educacional, no Campus X (Teixeira de Freitas) e especialização em Estudos Africanos e Representações da África, no Campus XV (Valença) – e à regulamentação de cursos de férias na graduação da UNEB, entre outras relevantes deliberações.

Ao fim da sessão, a presidente do Consu parabenizou e agradeceu os conselheiros pelo esforço e dedicação para “dar conta desse volumoso trabalho de avaliar em profundidade cada processo em pauta”.

A vice-reitora da UNEB, Dayse Lago, também parabenizou os membros do Consu, enfatizando: “Observo com satisfação a celeridade que tem marcado a tramitação dos processos neste Conselho, o que demonstra o compromisso dos conselheiros e conselheiras na avaliação e aprovação de pautas muito importantes para nossa universidade”.

Texto: Toni Vasconcelos/Ascom. Imagens: prints/TV UNEB.  

Reitoria em Movimento conclui sétima edição do programa com visita ao Campus de Santo Antônio de Jesus

A equipe da gestão universitária da UNEB visitou o Campus de Santo Antônio de Jesus

O programa Reitoria em Movimento desembarcou no Departamento de Ciências Humanas (DCH) do Campus V da UNEB, em Santo Antônio de Jesus, na última sexta-feira (17). 

Reitora Adriana considerou que o programa é um momento de escuta e aproximação com a comunidade

A iniciativa foi lançada na unidade com a mesa de abertura presidida pela reitora da universidade, Adriana Marmori, que destacou o perfil agregador do programa.  

“Trata-se de uma escuta, uma aproximação, um diálogo que se alinha com o diferencial de nossa Universidade, que é uma instituição plural, diversificada e inclusiva. Nossa convocação é para refletir sobre a Universidade, não apenas para garantir sua sobrevivência como uma instituição pública, mas para avançar, ir além da mera sobrevivência. Para isso, precisamos contar com a contribuição de cada da pessoa que compõe essa instituição”, destacou a reitora. 

Dayse destacou que a iniciativa põe em prática a descentralização administrativa da universidade

A vice-reitora, Dayse Lago, ressaltou a relevância do programa no contexto das decisões administrativas. “O objetivo deste movimento não é apenas promover uma aproximação com o Departamento – para que possamos nos conhecer melhor -, mas também implementar a prática de descentralização de nossas questões administrativas”, afirmou. 

João Evangelista, diretor do DCH do Campus de Santo Antônio de Jesus, destacou a importância do programa para a integração institucional: “Estamos extremamente satisfeitos com a visita da reitora, Adriana Marmori, da vice-reitora, Dayse Lago, e dos pró-reitores ao nosso departamento. O programa Reitoria em Movimento é fundamental para que a comunidade acadêmica do Campus de Santo Antônio de Jesus possa discutir diretamente e fortalecer os vínculos com a equipe da Administração Central da universidade’, ressaltou. 

João frisou que a ida dos gestores ao departamento fortalece laços com o Campus V

Participaram também do Programa Reitoria em Movimento no Campus de Santo Antônio de Jesus os pró-reitores: Gabriela Pimentel (Prograd), Jean Santos (Praes), Rosane Vieira (Proex), Dina Maria Rosário (Proaf) e Tânia Hetkowski (PPG), e o assessor Especial Territorial (Assesp-T), Fabrício Magalhães.

Diálogo com segmentos da universidade 

Durante a programação, os gestores da Administração Central tiveram encontros com os estudantes, docentes, técnicos e colaboradores terceirizados da unidade, estabelecendo diálogo sobre as demandas do Campus.  

Luís ressaltou a importância do diálogo presencial proporcionado pelo programa

O coordenador do Núcleo de Pesquisa e Extensão (Nupe), Luís Cláudio Requião, enfatizou a importância do diálogo presencial proporcionado pelo programa. “Não há nada como um diálogo efetivo, olho no olho, que é quando conseguimos transmitir melhor as necessidades que temos in loco. Isso nos conecta mais enquanto representação do campus do interior e a gestão central, ampliando o diálogo”, declarou o docente, que há 25 anos atua na UNEB. 

Para a coordenadora do Programa Universidade Aberta à Terceira Idade (Uati), Conceição Silva, a visita dos gestores contribui para o fortalecimento da universidade, “ampliando a percepção da gestão sobre as maneiras como técnicos, docentes e estudantes têm atuado nos departamentos, bem como sobre as práticas solidárias que são implementadas para que as atividades sejam realizadas”. 

Conceição salientou que a ação amplia percepção dos gestores como a comunidade atua nos campi

Gabriela Brandão, estudante do oitavo semestre do curso de Licenciatura em História do departamento, esteve presente no Reitoria em Movimento e salientou a relevância da visita dos gestores como uma ação formativa. 

“Mesmo que a gente tenha o diretor ou o corpo docente voltado a atender a demanda dos alunos, ter a reitora dentro dos campi, escutando as nossas demandas presencialmente e de forma mais acolhedora, estabelece que a gente tem uma importância para além dos números. É extremamente enriquecedor, ajudam os alunos a retomarem a participação na resolução das demandas cotidianas da instituição, fortalecendo a atuação coletiva”, disse a discente. 

Gabriela enfatizou que o programa ajuda estudantes participar nas resoluções de demandas da instituição

A visita dos gestores da Administração Central ao Campus de Santo Antônio de Jesus concluiu a sétima edição do Programa Reitoria em Movimento. A iniciativa também passou pelo Campus XV da instituição, em Valença, na última quinta-feira (16).

Reitoria em Movimento – A finalidade do programa é criar canais e espaços de interlocução que ampliem o debate democrático sobre temas e questões que importam à sociedade, e que trazem desafios tanto localmente quanto em contextos mais amplos, buscando soluções de forma colaborativa.

A definição de agenda local sempre leva em consideração a metodologia participativa, envolvendo os três segmentos (discente, docente, técnico) e comunidade externa, nas plenárias e/ou fóruns de discussões, e também em visitas a órgão locais.

Texto: Leandro Pessoa/Ascom. Fotos: Danilo Oliveira/Ascom

Sétima edição do Reitoria em Movimento mobiliza comunidade universitária do Campus de Valença

Gestores da Administração Central da UNEB foram recebidos pela comunidade acadêmica do Campus de Valença

Em sua sétima edição, o programa Reitoria em Movimento chegou ao Departamento de Educação (DEDC) do Campus XV da UNEB, em Valença, na última quinta-feira (16). 

Reitora Adriana levou mensagem de acolhimento à comunidade do Campus de Valença

A transferência do Gabinete da Reitoria para o interior contou com a presença da reitora, Adriana Marmori, e da vice-reitora, Dayse Lago

“É uma alegria estar aqui no Campus XV, em Valença, na região do Baixo Sul. Esta unidade, que está instalada aqui há mais de 20 anos, tem muitas histórias regadas a muito trabalho, dedicação e compromisso público com a UNEB. Gostaria de agradecer aos estudantes, docentes, técnicos e colaboradores terceirizados deste departamento que se empenham diariamente em defender a nossa universidade e a levam adiante. Hoje estamos aqui para dialogar e escutá-los, trazendo este movimento de que a gestão não anda sem o apoio de vocês. Agradeço a acolhida e estamos à disposição de todos e todas”, ressaltou a reitora. 

Dayse destacou importância do programa para dialogar com a comunidade

A vice-reitora, Dayse Lago, destacou a importância do programa para o diálogo com a comunidade acadêmica nos departamentos. “O Reitoria em Movimento foi um compromisso assumido em nossa gestão para estarmos mais próximos aos departamentos, ouvindo a comunidade acadêmica, a comunidade externa, discutindo e encaminhando questões juntos e construindo uma relação mais próxima com a nossa comunidade universitária”. 

Angélica frisou que o programa proporciona aproximação da gestão com a comunidade

A diretora do DEDC do Campus XV, Angélica Silvia Lopes, frisou a relevância do programa em promover a aproximação dos gestores com a comunidade acadêmica. “Sentimos uma imensa alegria receber em nosso departamento a reitora, Adriana Marmori, a vice-reitora, Dayse Lago, e os pró-reitores, juntos com os nossos estudantes, docentes e discentes tendo a oportunidade de convocar e conversar sobre as nossas demandas acadêmicas. Agradeço a presença dos gestores da universidade no nosso espaço”.

Participaram também do Programa Reitoria em Movimento no Campus de Valença os pró-reitores: Gabriela Pimentel (Prograd), Jean Santos (Praes), Rosane Vieira (Proex), Dina Maria Rosário (Proaf), João Rocha (Proinfra) e Tânia Hetkowski (PPG), e o assessor Especial Territorial (Assesp-T), Fabrício Magalhães.

Acolhimento dos gestores da Administração Central com a comunidade

Durante todo o dia, gestores da Administração Central da universidade tiveram encontro com os estudantes, docentes, técnicos e colaboradores terceirizados da unidade. 

Leandro disse que a presença dos gestores no Campus torna-se mais acessível

“A presença dos gestores aqui em nosso departamento torna-se mais acessível para nós, discentes, e para os técnicos e docentes da instituição, pois localmente estamos distantes da Administração Central. Então, a troca de diálogo presencialmente se torna muito mais sensível para as demandas necessárias do departamento. Espero que esta ação se mantenha, pois é essencial que a gestão central da universidade esteja mais próxima da sua comunidade acadêmica”, disse Leandro Almeida, estudante do curso de Direito e estagiário de Administração do departamento. 

Servidora há 20 anos do Campus XV, Patrícia Vieira, salientou que o programa Reitoria em Movimento proporciona o acolhimento dos gestores centrais com a comunidade acadêmica da unidade. “Acho fantástico os gestores da Administração Central virem ao nosso departamento e termos a oportunidade de apresentar as nossas demandas e necessidades para a reitora e os pró-reitores. É importante esse momento de eles nos escutarem e nos acolherem, trazendo também as novidades”, disse a coordenadora financeira do DEDC da unidade. 

Patricia destacou como importante os gestores promover ação de escuta e acolhimento

Com 25 anos de vida acadêmica na UNEB, a docente do curso de Pedagogia, Ana Lícia Stopilha, considerou que o programa Reitoria em Movimento promove mobilização dentro do campus, dialogando com vários segmentos da universidade. “É muito positivo ter a equipe da Reitoria em nosso departamento. Isso mostra a sensibilidade da atual gestão em ouvir e compreender as nossas demandas e anseios. O Reitoria em Movimento é esse momento de criar vínculos através de uma ação propositiva que vai trazer um novo ânimo, vai trazer uma motivação, vai trazer uma forma melhor de se ver a UNEB como um único propósito, de cumprir uma missão que é da UNEB, e a reitoria fazendo essa missão em conjunto”. 

Ana frisou a sensibilidade da gestão em ouvir as demandas do departamento

A passagem do programa no Campus de Valença ainda reservou reuniões com coordenadores de curso, dos setores que fazem parte do departamento e com as instituições parceiras. A programação da iniciativa também reservou apresentação cultural com artistas da região. 

Nesta sexta-feira (17), o Reitoria em Movimento desembarcará no Campus de Santo Antônio de Jesus. A programação prevê encontro dos gestores da Administração Central da universidade com estudantes, docentes, técnicos, colaboradores terceirizados e estagiários, além diálogo com representações da comunidade externa.

Texto: Danilo Cordeiro/Ascom. Fotos: Danilo Oliveira/Ascom

DIA D: “Na Estatuinte vamos projetar o futuro da UNEB, sem desprezar a riqueza construída nestes 40 anos”, reitora Adriana Marmori

Gestores e membros da comissão de articulação do processo estatuinte compuseram a mesa do evento.

“O processo estatuinte é a culminância de mais um compromisso desta gestão. Um processo histórico, um encontro de ideias, em que vamos projetar o futuro da UNEB, sem desprezarmos a riqueza de nossa tradição e do legado nestes 40 anos.”

A fala da reitora Adriana Marmori deu a dimensão da relevância do chamado “Dia D da Estatuinte“, que marcou o começo do cronograma do processo que vai atualizar o atual Estatuto da UNEB. O evento foi realizado nessa segunda-feira (4) no Teatro UNEB, com transmissão ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube.

Segundo a reitora, “não se faz uma Estatuinte sem a participação de todas e todos, democraticamente, tanto da comunidade interna como da externa, porque a sociedade baiana também precisa dizer o que espera da UNEB”.

Reitora Adriana Marmori: “Não se faz uma
Estatuinte sem a participação de todas e todos”.

“O Estatuto é a carta política da nossa universidade. Carta referenciada reafirmando os nossos mais sagrados valores, baseados na democracia, inclusão, participação e pluralidade. E na qualidade do que nos propomos a fazer como instituição de educação superior pública”, disse Adriana Marmori.

A reitora destacou a responsabilidade de cada uma e de cada um de nós nesse processo: “Temos que estar atentos a todos os marcadores sociais que já estão integrados à nossa instituição, que precisam estar associados a todas as políticas de ações afirmativas historicamente construídas aqui”.

Convidando toda a comunidade acadêmica para se envolver diariamente nesse processo, a reitora concluiu citando o líder político sul-africano Nelson Mandela: “‘Democracia com fome, sem educação e saúde para a maioria é uma concha vazia’. Não sejamos concha vazia!”.

A vice-reitora Dayse Lago ressaltou que, nesse processo estatuinte, “é preciso coragem para a universidade refletir sobre si mesma, se escutar; é preciso diálogo, abertura para o outro, para o diferente”.

Vice-reitora Dayse Lago: “É preciso coragem para
a universidade refletir sobre si mesma, se escutar”.

“Que esse documento, o Estatuto, traduza a nossa identidade, que traga a cara de todas e todos nós, traga também a cara da Bahia, do sertão, da metrópole, de todos os lugares do estado”, avaliou a vice-reitora.

Compuseram a mesa do evento, além da reitora e da vice-reitora, o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau do Estado da Bahia (Sintest UNEB), Firmino Júlio, e os seguintes integrantes da Comissão de Articulação para o Processo Estatuinte, constituída pelo Conselho Universitário (Consu) da UNEB: Érica Macêdo, representante do Consu; Clóvis Piáu, representante da Seção Sindical dos Docentes (Aduneb) da universidade; Kleber Pereira, representante do Sintest; e Lídia Boaventura, representante da administração central da instituição.

Participaram do evento, presencial e virtualmente, gestores da administração central e setorial de todos os campi e unidades da universidade, além de membros da comunidade acadêmica.

Garantir os melhores anos da universidade

No início das atividades do “Dia D da Estatuinte“, foi exibido um vídeo, produzido pela Assessoria de Comunicação (Ascom) da UNEB, com breves depoimentos da reitora e de representantes da comunidade acadêmica.

Comunidade acadêmica participou do Dia D presencialmente ou pela internet.

No vídeo, o coordenador do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UNEB, Eduardo Arruda, reforçou a necessidade de participação dos discentes no processo estatuinte: “Somos a maior parte da nossa universidade. Vamos reformular, recriar o documento mais importante da UNEB. Venham contribuir com esse movimento”.

“Nossa categoria precisa estar presente nesse processo. As grandes conquistas requerem esforço, dedicação, parcerias. Já caminhamos muitos metros, mas temos muitos quilômetros para caminhar nessa estrada da UNEB. Vamos juntos e juntas!”, salientou o coordenador-geral do Sintest, Firmino Júlio.

Para o coordenador-geral da Aduneb, Clóvis Piáu, a comunidade acadêmica tem “um desafio enorme pela frente: pensar o Estatuto da nossa universidade”. “É fundamental a participação dos docentes, junto com os técnicos e os estudantes. Para garantir não só os próximos 40 anos, mas os melhores anos da nossa UNEB, com o novo Estatuto”, vaticinou.

Érica Macêdo e Lídia Boaventura apresentaram
metodologia e cronograma das etapas do processo.

Na parte final do evento, coube a Érica Macêdo e a Lídia Boaventura, da Comissão de Articulação para o Processo Estatuinte da UNEB, apresentar a metodologia e o cronograma das etapas de todo o processo, também deliberadas em resolução do Consu.

De acordo com a resolução, o processo da Estatuinte contemplará as etapas locais e territoriais e, no final, o Congresso Estatuinte, previsto para abril de 2024. A proposta de Estatuto construída nesse processo será, então, encaminhada para apreciação do Conselho Universitário da UNEB.

“Nosso atual Estatuto é de 1986. De lá para cá, ele já sofreu inúmeras atualizações, mas nunca uma ampla discussão sobre a estrutura e o funcionamento da nossa universidade. Temos um trabalho árduo até o final deste ano, com as comissões locais. E no próximo ano teremos as comissões territoriais e o Congresso Estatuinte”, resumiu Lídia Boaventura.

Texto: Toni Vasconcelos/Ascom. Fotos: Danilo Oliveira/Ascom.

Reitoria descentraliza R$ 7,6 milhões para investimento em LABORATÓRIOS de graduação e pós-graduação em todos os departamentos

Verba suplementar é cinco vezes maior que a destinada no último edital do Prolab.

A Reitoria da UNEB descentralizou volume de recursos da ordem de R$ 7,6 milhões para investimento nos laboratórios dos cursos de graduação e pós-graduação em todos os departamentos da universidade.

O montante liberado, oriundo do orçamento próprio da instituição, vai atender a demandas novas e antigas das coordenações dos cursos e da gestão setorial, sendo destinado exclusivamente para aquisição de equipamentos dos laboratórios.

Trata-se de um recurso suplementar – independente das cotas de aporte que cada unidade gestora dos departamentos recebe regularmente – no âmbito do Programa de Apoio aos Laboratórios Acadêmicos (Prolab) da UNEB.

“Decidimos ampliar e democratizar a distribuição dos recursos destinados aos laboratórios acadêmicos, referentes ao Prolab, a fim de fortalecer e qualificar nossos cursos de graduação e pós-graduação”, disse a reitora Adriana Marmori.

Segundo a Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), o volume de R$ 7,6 milhões corresponde a cinco vezes mais em comparação com o valor destinado no último edital do Prolab (R$ 1,5 milhão) no ano passado.

A Proplan informou que a verba suplementar foi distribuída conforme o porte e demanda de cada departamento, considerando número de cursos de graduação e pós-graduação, quantidade de estudantes, entre outros critérios acadêmicos e técnicos.

Texto: Toni Vasconcelos/Ascom. Foto: Divulgação.

Em calorosa celebração, UNEB dá posse aos primeiros docentes nomeados no concurso público após vitória judicial

Gestores e novos docentes festejaram êxito da luta em defesa do concurso e da universidade.

Foi uma grande luta para chegarmos até aqui. Comparo esse processo todo a quem atravessa um deserto e quando chega na fonte, a água está lá, mas não tem a cumbuca para beber. No meio da caminhada para conseguir a cumbuca, encontramos uma magnífica orquídea no deserto, que nos disse: ‘Eu estou com vocês! Vocês terão a cumbuca e beberão água da fonte’. Muito obrigado, em nome de todas e todos nós, magnífica reitora.”

Em fala visivelmente emocionada, Herbert Duraes agradeceu à reitora Adriana Marmori o empenho e a perseverança para conseguir viabilizar a convocação dos candidatos aprovados no último concurso público docente da UNEB (Edital 034/2022), depois de mais de um ano de tratativas na Justiça estadual. [Saiba mais aqui.]

“Nossa sede de antes, agora deu espaço à saciedade: à esperança de tempos melhores para nós, nossas famílias, para esta universidade e para os alunos que estavam sedentos esperando por nós, agora docentes”, completou Herbert Duraes, que se pronunciou representando os primeiros candidatos nomeados do concurso que tomaram posse hoje (28), em calorosa cerimônia no Teatro UNEB, Campus I, em Salvador.

Dos 120 candidatos convocados até o presente, 37 foram nomeados e empossados porque já cumpriram os trâmites legais especificados no edital. Os demais convocados, assim que concluírem esses trâmites, também tomarão posse e assumirão a docência nos diversos campi da instituição, ainda neste semestre letivo.

Veja aqui relação de empossados(as)

Acesse  aqui íntegra do termo de posse

Defesa do concurso e da universidade

Reitora Adriana Marmori: ações afirmativas
atravessam ensino, pesquisa e extensão na UNEB.

Parabenizando os empossados pela conquista do almejado cargo de professor do quadro efetivo da UNEB, a reitora agradeceu aos membros da gestão universitária, em especial os que atuam na área jurídica, que somaram esforços para obter o acordo judicial histórico, “em defesa do concurso público e da universidade“.

“Hoje é dia de festa, de celebrarmos essa conquista! Foi um processo jurídico complexo do ponto de vista acadêmico, politico, econômico e social. Contamos com o apoio de muitas forças de setores da politica e da academia, para conseguirmos um desfecho bem positivo. Nossos concursos sempre primaram pela idoneidade, lisura e excelência – e esse não poderia ser diferente. Tomaram posse 37 hoje, mas não mediremos esforços para empossar todas e todos os convocados”, disse Adriana Marmori.

Aos novos professores da instituição, a reitora informou que as dimensões de ensino, pesquisa e extensão na UNEB são transversalizadas pelas ações afirmativas: “Isso é um mote da nossa universidade. Os nossos discentes são, em sua maioria, estudantes vulneráveis, do interior da Bahia, com marcadores sociais que não podem ser desconsiderados. Não podemos transigir com qualquer denúncia de que um docente desta universidade deixou de ler o nome social de uma discente travesti, de uma mulher trans ou de um homem trans; ou que algum docente cometeu qualquer tipo de racismo a um estudante negro ou indígena”.

E para apurar e dar encaminhamento disciplinar a todo ato de assédio na instituição, Adriana Marmori antecipou que “estamos constituindo um Comitê de Ética e Direitos Humanos na UNEB, proposta a ser apreciada pelo Conselho Universitário (Consu) em reunião próxima”. “Não é porque temos títulos de doutorado e mestrado que podemos nos considerar melhores que ninguém. Precisamos ter empatia e respeito por qualquer ser humano e ser vivo”, complementou.

Desafios da docência na diversidade

Vice-reitora Dayse Lago convidou professores
para atividades de formação docente do Ceapip.

A vice-reitora Dayse Lago, ao dar as boas-vindas aos professores empossados, ponderou que “a UNEB é um lugar de muitos desafios para a docência, por sua diversidade e multicampia, e pela complexidade de cada departamento”.

“Em geral, ingressamos na docência, mas só vamos aprender a ser professor e professora no exercício da profissão. Na UNEB, para ajudar na formação dos docentes, criamos o Ceapip (Centro de Assessoria e Pesquisa em Inovação Pedagógica), que vai estar à disposição de vocês”, salientou Dayse Lago.

Todos os novos professores da UNEB participarão de um encontro de formação e integração, para breve imersão na história da universidade, para conhecerem como ela se constituiu, como está estruturada, os principais documentos institucionais, os deveres e direitos do docente, entre outros temas.

Para saudar os empossados e fazer breve apresentação dos respectivos setores, muitos pró-reitores, assessores especiais e outros membros da gestão universitária subiram ao palco do teatro, além do representante da Associação dos Docentes da UNEB (Aduneb).

Texto: Toni Vasconcelos/Ascom. Fotos: Danilo Oliveira/Ascom.

Pró-reitores e assessores especiais da gestão, entre outros representantes, saudaram empossados.

UNEB oferece testagem para Covid-19 no Campus do Cabula

Mesmo com o decreto do fim da pandemia, a Covid-19 não deixou de ser um agravo relevante para a saúde pública.

Foi pensando nisso que o Departamento de Ciências da Vida (DCV) do Campus I da UNEB, em Salvador, em parceria com o Serviço Médico, Odontológico e Social (SMOS) da universidade, iniciou a oferta de testagem para Covid-19.

O exame pode ser realizado nas instalações do SMOS, localizadas no campus do Cabula, e é destinado à comunidade interna e externa.

Entretanto, apenas pessoas que estejam apresentando sinais e sintomas sugestivos da doença nos últimos três a sete dias ou que tenham tido contato com casos positivos no mesmo período de dias podem realizar o teste.

São considerados sinais sugestivos da doença: febre, coriza, tosse persistente e cansaço.

Os interessados em realizar o teste devem apresentar documento de identidade e cartão do SUS. As testagem são realizadas de segunda a sexta-feira, das 8 às 12hs e das 13 às 17hs.

Mais informações: (71) 3117-2471 (SMOS).

Texto: DCV/Campus I, com edição da Ascom. Imagem: Divulgação.

UNEB divulga nota pública sobre política de inclusão da universidade

A Universidade do Estado da Bahia vem a público se posicionar diante da matéria veiculada pela Rede Bahia, nos programas Jornal da Manhã, Bahia Meio Dia e BA TV, que trata de dados a respeito da política de inclusão da universidade em relação ao caso de Diego Reis, aluno de medicina com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Informamos que o discente está regularmente matriculado na graduação. Já cursou 17 componentes curriculares e, em 11 deles, obteve bom desempenho, inclusive, com participação ativa nas atividades propostas pelas disciplinas.

Como previsto em lei, a UNEB vem flexibilizando, dentro da razoabilidade e da proporcionalidade, todas as formas para a manutenção do discente no curso, a partir de diálogos constantes com o estudante e sua família, e também com profissionais especializados.

Logo na ocasião de seu ingresso, em 2020, a universidade instituiu uma rede interna de apoio ao discente, com a participação do grupo de pesquisa Programa de Educação Inclusiva, da instituição. Diego também foi encaminhado para acompanhamento psicológico junto a Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Praes), e um monitor específico foi designado para acompanhá-lo nas atividades e rotinas acadêmicas.

A universidade sempre esteve à disposição do discente e de sua família para estabelecer conjuntamente propostas, ações e intervenções que possam qualificar ainda mais a sua inclusão e permanência no curso.

Reiteramos ainda que a UNEB respondeu com celeridade à notificação do Ministério Público da Bahia como também se apresentou na audiência requerida pelo órgão, no dia 18 de maio, para esclarecimentos e apresentação dos documentos solicitados, sempre prezando pela transparência das ações e, sobretudo, pelo zelo e bem-estar de Diego e de toda a nossa comunidade acadêmica.

Como previsto na Política de Acessibilidade e Inclusão da UNEB, aprovada em 2021, a universidade desenvolve continuamente ações específicas voltadas para a permanência das pessoas com deficiência, ingressantes pelo sistema de cotas ou não. Entre as principais iniciativas estão, cursos de formação continuada para docentes e técnicos administrativos, contratação de apoiadores para suporte às pessoas com deficiência, adequação do mobiliário, equipamentos e espaços, além de fóruns e seminários, que evidenciam a temática e abrem espaços de interlocução e livre debate.

Para além disso, com o objetivo de executar com qualidade e eficácia essa política recém-criada, a universidade implantou, em 2022, a Secretaria de Acessibilidade e Inclusão (Sain), cujo intuito primordial é atender às pessoas com deficiência, com respeito e dignidade, desenvolvendo as ações necessárias para sua permanência na instituição.

Desde já a universidade se coloca à disposição para disponibilizar à sociedade os documentos e atas públicas de reuniões realizadas, assim como os números dos processos em tramitação.

A inclusão e a permanência são princípios basilares desta universidade, investimos diuturnamente em ações voltadas para o fortalecimento da nossa política pública de inclusão e permanência, consolidando iniciativas já existentes e adotando novas medidas cada vez mais especializadas, para ofertarmos um ensino digno e de qualidade aos discentes com TEA e outras necessidades especiais, não apenas no campus de Salvador, mas em todos os demais 25 campi que compõem a nossa extensa multicampia.

Universidade do Estado da Bahia

Conselho Estadual de Educação (CEE-BA) “aclama” novo recredenciamento da UNEB em sessão no dia do aniversário da universidade

Conselheiros do CEE-BA aplaudiram de pé o parecer aprovando o recredenciamento da universidade

Foi literalmente por aclamação de todos os conselheiros presentes que o Conselho Estadual de Educação da Bahia (CEE-BA) aprovou o novo recredenciamento da UNEB pelo prazo máximo legal de oito anos.

A sessão solene de recredenciamento, realizada na manhã de hoje (1º) no Teatro UNEB, no Campus I, em Salvador, deu início às comemorações do dia do aniversário de 40 anos da universidade.

Com o teatro lotado por membros da comunidade acadêmica, representantes de outras universidades e instituições parceiras, lideranças de movimentos sociais, parlamentares e gestores públicos, a sessão também foi transmitida ao vivo pelo canal da TV UNEB no YouTube.

Agradecendo aos conselheiros a deliberação a favor da renovação do recredenciamento, a reitora Adriana Marmori não escondeu sua emoção por mais essa conquista da universidade.

“Esse foi um valoroso presente de aniversário para esta grande universidade, a maior multicampi da Bahia e do Nordeste do país. E o que faz a grandeza da UNEB são as pessoas que protagonizam esta instituição, tanto a comunidade interna – estudantes, professores, técnicos, gestores – como a comunidade externa”, destacou a reitora.

Adriana Marmori: a grandeza da UNEB são as
pessoas que protagonizam esta instituição

Para a reitora, o novo recredenciamento vem atestar que “a UNEB é a universidade de toda a Bahia, de todas as pessoas, de todas as cores, de todos os credos, de todos os pensamentos”.

“Nestes 40 anos, a UNEB sempre foi pioneira: adentrou primeiro o interior da Bahia, chegando às portas daqueles e daquelas que não tinham condições, principalmente financeiras, de estudar numa universidade; em 2002 implantou o sistema de cotas para afrodescendentes na graduação e pós-graduação; implantou cursos com base na pedagogia da alternância em comunidades indígenas e quilombolas, em assentamentos da reforma agrária; e muitas outras ações”, lembrou Adriana Marmori, reconhecendo “a importância também de todos e todas que nos antecederam aqui”.          

Ao reafirmar que a UNEB produz hoje ciência de qualidade em todas as áreas do conhecimento, a reitora citou Paulo Freire: “Parafraseando esse grande educador, patrono da educação brasileira, digo que esta universidade não modifica a sociedade baiana; esta universidade transforma vidas, vidas que vão atuar de forma emancipada, mudando a realidade e construindo uma nova sociedade”.

Parabenizando a comunidade unebiana pelo recredenciamento, a vice-reitora Dayse Lago referiu-se a um texto divulgado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UNEB: “A história da nossa universidade foi e é construída a muitas mãos. A UNEB muda vidas, realiza sonhos, traz oportunidades, forma profissionais e pessoas em todo o estado”.

“Como disseram os estudantes, temos orgulho de ser UNEB. E é esse sentimento de pertencimento e de amor que procuramos traduzir e engendrar nas ações e políticas em nossa universidade. Vamos ‘unebiar’ a Bahia!“, completou Dayse Lago.

Sessão solene foi acompanhada pelo público, que lotou teatro, além de transmitida ao vivo pela TV UNEB

“Que a UNEB seja cada vez mais UNEB”

Esse é o terceiro recredenciamento da UNEB como universidade pública aprovado pelo CEE-BA.

Após exibição de um vídeo produzido pelo órgão apresentando as etapas do processo de recredenciamento e um breve histórico da universidade, a mesa diretiva da sessão solene foi composta pela reitora e vice-reitora da UNEB; pela secretária estadual da Educação (SEC), Adélia Pinheiro, que representou o governador do estado, Jerônimo Rodrigues; pelo presidente e vice-presidente o CEE-BA, Paulo Nacif e Roberto Gondim, respectivamente; e pelo presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho, João Batista. Os demais conselheiros do CEE-BA também foram convocados à sessão.

De acordo com a Constituição Federal e a legislação pertinente, só devem receber o título de universidade aquelas instituições que se caracterizam pelo principio da indissociabilidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão.

A renovação do recredenciamento assegura tal título à UNEB por mais oito anos, prazo máximo legal, segundo o CEE-BA.

Para Paulo Nacif, UNEB é o equipamento
mais sofisticado da Bahia em 500 anos

“A UNEB é o equipamento mais sofisticado que a Bahia pôde fazer nestes 500 anos de nossa história. A UNEB é a maior e mais baiana entre todas as instituições de educação superior em nosso estado. O que eu posso desejar à UNEB é que ela seja cada vez mais UNEB. E, assim, consiga mais e mais ‘unebiar’ a Bahia, o Brasil e o mundo”, enfatizou o presidente do Conselho, Paulo Nacif, acrescentando que “nunca precisamos tanto da UNEB, precisamos desse saber que aqui é constituído em um ambiente ético e responsável”.    

Coube à conselheira decana do CEE-BA, Ester Figueiredo, a leitura do parecer da comissão de recredenciamento do órgão: “A UNEB apresenta e apresentou um significativo avanço no que diz respeito à gestão acadêmica administrativa. Atentou-se (a gestão universitária) também para a institucionalização, expansão e planejamento democrático na tomada de decisões em relação aos programas, politicas e ações que contribuem para desenvolvimento institucional” (trecho do documento).

Ao final, o parecer recomenda ao Conselho que aprove não apenas o recredenciamento da UNEB por oito anos como também as atualizações no Estatuto e no Regimento Geral da universidade, deliberadas pelo Conselho Universitário (Consu) da UNEB.

Por prolongada aclamação de todos os conselheiros presentes, como proposto pelo presidente do Conselho, o parecer foi aprovado na íntegra, reverberando em emocionante ovação do público no teatro.  

Encerrando a sessão, a secretária Adélia Pinheiro (SEC) parabenizou o Conselho Estadual de Educação e a UNEB pela momento especial: “Trago o abraço do governador do estado a todos e todas aqui. Esse recredenciamento nos traz a certeza da pujança da UNEB, contribuindo no avanço consistente desta instituição. Temos orgulho de ter a UNEB em nosso estado“, finalizou a titular da pasta estadual da Educação.

Texto: Toni Vasconcelos/Ascom.
Fotos: Leandro Pessoa e Danilo Oliveira/Ascom.

ASSESP-T: Seminário inicia planejamento para assessoramento territorial da Reitoria na UNEB

Reitora Adriana Marmori: acompanhamento mais direto de cada território, em articulação com os departamentos

“Território é, antes de tudo, pertencimento; é poder, sem sobrepor ao do outro. E a UNEB desempenha papel fundamental nesse processo de desenvolvimento territorial com sustentabilidade em todos os espaços e regiões do estado onde atua.”

Essas palavras, proferidas pelo professor Antônio Muniz Filho, do curso de Urbanismo da universidade, dão a dimensão dos temas debatidos durante o Seminário de Planejamento Estratégico da Assessoria Especial Territorial (Assesp-T) da UNEB, realizado nessa terça-feira (28) em hotel de Salvador.

Docente também do Programa de Pós-Graduação em Estudos Territoriais (Proet) da UNEB, em sua palestra Antônio Muniz realçou importantes questões: “Quais ações de uma universidade multicampi têm reflexibilidade no desenvolvimento territorial? E como a UNEB pode contribuir para mitigar as desigualdades territoriais?”, incentivando a reflexão dos participantes.

Organizado pela Assessoria Especial da Reitoria (Assesp), o evento foi presidido pela reitora Adriana Marmori e a vice-reitora Dayse Lago, com a coordenação do assessor-chefe Sérgio São Bernardo e da assessora especial territorial Jacilda Laurindo. O chefe de gabinete da Reitoria (Chefgab), Pedro Daniel, também colaborou na organização e condução dos trabalhos.

Participaram do seminário quase a totalidade dos assessores especiais territoriais já nomeados – conheça aqui relação atual dos assessores por região.

Assessores territoriais: apoio aos departamentos

A relevância e premência das atividades desenvolvidas pela Assessoria Especial Territorial (Assesp-T) em toda a universidade e territórios foram destaque no encontro.

Na avaliação da reitora, “este seminário marca um momento de reconfiguração da gestão em relação aos territórios. Percebemos a necessidade de um acompanhamento mais direto de cada território de identidade, em articulação com os departamentos da UNEB”.

“As assessoras e assessores territoriais estão vinculados diretamente à Reitoria, exercendo cargo de gerenciamento, e representam nossa gestão nos territórios, sempre em diálogo com as diretoras e diretores de departamento e demais segmentos da comunidade universitária”, disse Adriana Marmori, esclarecendo que a escolha desses servidores para a função se baseou na representatividade e desempenho funcional que possuem, seja na área administrativa, seja na acadêmica.

Entre as questões prioritárias que estão na agenda de trabalho da Assesp-T, a reitora elencou “a implementação efetiva da nossa política de acessibilidade e inclusão, colaboração no processo formativo de nossa comunidade quanto ao respeito à diversidade e apoio aos estudantes cotistas, ações para a redução significativa da evasão discente, problemas nas instalações das residências estudantis, celeridade nos processos licitatórios para otimizar os recursos disponíveis”, entre outras.  

A vice-reitora lembrou que “este foi nosso primeiro encontro presencial com as assessoras e assessores territoriais – no ano passado houve reuniões apenas virtuais –, e conseguimos avaliar o trabalho realizado até aqui e planejar os novos encaminhamentos”.

“A Assessoria Especial Territorial é mais um braço da UNEB nos territórios. Tem o objetivo de descentralizar algumas ações da gestão e apoiar os diretores e diretoras de departamento”, salientou Dayse Lago, reforçando que a presença de professores e técnicos na Assesp-T propicia “uma riqueza de experiências muito grande”.

Palestrante Antônio Muniz incentivou a reflexão: como a UNEB pode contribuir para mitigar desigualdades territoriais?

Atuação de forma integrada e colaborativa

Institucionalizada na configuração atual no ano passado, a Assessoria Especial Territorial é um eixo de ação da Assessoria Especial da Reitoria (Assesp).

Atualmente a Assesp-T está estruturada em oito regiões, nas quais estão sediados os departamentos da UNEB – veja aqui as regiões e respectivos assessores. Em cada região atuam dois assessores territoriais, um professor e um técnico administrativo, possibilitando a soma de conhecimentos profissionais nas áreas administrativa e acadêmica.   

Segundo o assessor-chefe da Reitoria, a Assesp-T vai desempenhar “um papel estratégico na articulação com os departamentos e parceiros institucionais da UNEB em cada território.

“Os assessores e assessoras territoriais atuarão de forma integrada e colaborativa no assessoramento ao planejamento estratégico de cada departamento, no fomento e apoio a parcerias locais, no mapeamento das ações da universidade nos territórios, no apoio à articulação com prefeituras e secretarias municipais, assim como à articulação com setores administrativos da UNEB, entre outras atividades”, pontuou Sérgio São Bernardo.

A assessora especial territorial Jacilda Laurindo detalhou os quatro eixos de assessoramento territorial nos quais de inserem as ações da Assesp-T: eixo da intersetorialidade local e regional, eixo da gestão acadêmica multicampi, eixo da gestão administrativa multicampi e eixo dos projetos e ações estratégicas.

Texto: Toni Vasconcelos / Ascom. Fotos: Danilo Oliveira / Ascom.